29 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012 - Fashion Yearbook

Mais um ano terminando (já?), o que ainda dá tempo de fazer é um balanço de TUDO o que aconteceu!
Aqui o papo não será cabeça nem introspectivo, faça sozinha em casa com papel e caneta na mão. O post original é do site americano Refinery29, que relembra inúmeros acontecimentos, escolhi alguns temas mais globais, dos quais nós (brasileiros) também tomamos conhecimento pudemos acompanhar/participar. Portanto, ignore a numeração das fotos e atente-se aos fatos.
Preparada(o)? Você pode se surpreender..

1) Katie Holmes
Depois do (nada) surpreendente divórcio, KH sai do armário e lança sua marca. O debut desfile NYFW foi sem dúvida um dos desfiles mais disputados da temporada.
2) Michelle Obama
Se ESTILO estivesse entre os requesitos para a eleição à Presidência nos EUA, MObama teria vitória implacável na corrida presidencial mais importante do ano de 2012. Linda e elegante, SEMPRE, para a gente é o que importa! Não é mesmo?

3) Anna Dello Russo
Também um ícone muito importante, ninguém conseguiu parar a editora da Vogue Japão ADR em 2012, este ano, a fashion icon, musa de street style e dona de um estilo original e único, nos deu grandes contribuições como: a parceria com a Macy's e o incrível Fashion Shower da H&M (relembre aqui).
Pude ver os produtos de perto e fiquei ainda impressionada com o trabalho que fizeram para a última parceria.
4) Isabel Marant
E o que Isabel Marant tem a ver com tudo isso?
Língua oversize estilosa, plataforma imbutida, velcro e muito conforto, fizeram o sneaker original de Isabel Marant o calçado mais desejado no ano e com razão!
5) Sapatos Novos
Designers relativamente novos, com novos sapatos roubam a cena e o espaço de nomes tradicionais como Christian Louboutin, entre eles: Brian Atwood, Charlotte Olympia e Nicholas Kirkwood, merecido não?! O ano foi de sapatos lindos e exóticos.
6) Nicolas Guesquière
O estilista francês a frente da maison Balenciaga surpreendeu o mundo todo quando deu "tchau" e resignou-se do cargo em seu último desfile. Os rumores de quem iria substituí-lo já foram solucionados, mas para onde ele irá agora, é a grande questão.
7) Hula-Hoopin'
Quando achamos que Karl Lagerfeld já não podia inventar mais nada, o Kaiser nos deixa desnorteadas outra vez! E o modelo, que era conceito de passarela foi tão desejado e cobiçado, que obrigou a Chanel a produzir uma versão menor da bolsa para ser comercializada.

8) Vergonha de Bangladesh
E pra quem acha que essa história de trabalho escravo não existe e que faz parte de uma lenda urbana, pode atentar-se ao incidente vergonhoso que aconteceu em Novembro e matou 112 trabalhadores em Bangladesh todos vivendo em péssimas condições de trabalho e negligência para nos entregar produtos de marcas como Sears e Target. Consumo mais consciente em 2013.
9) Schiaparelli & Prada
Um verdadeiro presente, foi a união da trajetória de vida profissional destas duas grandes mentes criadoras e inspiradoras aos admiradores da moda. A exibição, que aconteceu este ano no MET (e que sinto por não ter visitado), Schiaparelli & Prada, lembrou de algo que muitas vezes esquecemos: a moda é para ser estranha, imaginativa e o acima de tudo, uma obra de arte.
10) Karl Lagerfeld
De novo? Sim todos acertamos e também erramos!
Para muitos, que tudo o que o diretor criativo da Chanel fala, deve ser primeiro escutado e depois engolido com uma pitada de sal, bom, neste caso, nem tudo...
Depois da declaração na qual ele falou que "Coisa do momento é a Adele. Apesar de ser um pouco gorda demais, ela é linda e tem uma voz divina", é melhor pensar bem antes de engolir...
Gostou? Amanhã tem mais.
E pra você, quais foram os fatos mais marcantes?


17 de dezembro de 2012

Para todos os seus problemas...

Escolha a sua favorita e tome quantas puder!
 
A brincadeira de hoje é com as obras do artista John Paul ou DOC, Desire Obtain Cherish, que desenvolve um trabalho muitas vezes polêmico, controverso, e que explora de maneira satiríca temas como sexo, drogas, desejos, gêneros, celebridades, mídia, comércio e fama.
Na série "Designer Drugs", ele criou cartelas  com as marcas de luxo mais famosas da atualidade para explorar o tema dos remédios e drogas.
As cartelas são de resina no tamanho 42 x 27.




 "Addicted At Birth"

 Cuidado na hora de "medicar" suas crianças então.

Se você gostou do trabalho, pode conferir mais clicando aqui.

7 de dezembro de 2012

NYC 2012 - Onde Comer e Onde Não Comer

Enquanto não estava por aqui, estava por aí, fazendo outras coisas, entre elas, viajando.
No mês de outubro, estivemos em NYC. Nossa passagem não foi tão arrasadora quanto a do Sandy, que pegamos no final da viagem, mesmo assim, tudo correu bem.

Para nos alimentar durante os dias em que estivemos lá, decidimos voltar em alguns favoritos e também explorar novas opções.
Fiz questão de anotar algumas coisas, para colocar aqui e ajudar outras(os) viajantes e aventureiros que passam pela "selva de concreto" e estão sempre em busca de novidades.

Bubby's - $$
Depois de horas de viagem, chegar e ir direto tomar um café da manhã no Bubby's é a mesma coisa que acordar com o pé direito, ganhar na loteria, ser promovida e ainda casar com um homem bonito, rico, generoso, que já vem com filhos lindos, perfeitos, educados e que te chamam de mãe. Brincadeira, isso não existe, mas pense em uma sensação boa, esta foi a sensação que tivemos no Bubby's.
Imagine uma comidinha americana caseira deliciosa, com suco de laranja fresco e geléia de morango feita por eles. Esta é a proposta do Bubby's, que fica aberto 24horas e com várias opções de acordo com a hora.
120 Hudson Street - Tribeca

Megu - $$$$
O Megu é um japonês sofisticado que também fica em Tribeca a comida é deliciosa e todos os pratos que pedimos têm uma apresentação e preparação na mesa,  porém os pratos são pequenos e a sensação é a de que você sai de lá com fome. Recomendo se você quiser jantar em um lugar bacana e tranquilo com o namorado e ainda estiverem dispostos a gastar, pois o preço é salgado.
Comemos o Salmão Tartar
62 Thomas Street - Tribeca

Nello - $$$$
Comer no Upper East é sempre uma saga. São poucas opções e preços altos, já que estamos falando da área mais nobre da cidade. Como ficamos na mão, com o outro restaurante que vou escrever logo em seguida, decidimos andar mais um pouco e paramos no Nello, um italiano badalado, que recebe jogadores de futebol e celebridades entre seus clientes.

A comida é italiana e muito boa, os pratos são individuais mas bem servidos, o susto mesmo é na hora de pagar a conta, que foi absurdamente cara, para o que comemos e bebemos.
Não recomendo o Nello, mas se você ficar sem opção pela região e não se importar com o preço, vá e peça o que está no cardápio, não aceite sugestões de entrada e a sobremesa dos garçons no qual o preço não é mencionado ou pergunte o valor, pois é pegadinha e sua conta pode ficar ainda mais cara..
696 Madison Avenue - Upper East

Le Bilboquet - $$$$
Já tinha ido no Bilboquet e queria levar as meninas que estavam comingo para conhecer o restaurante que tem um astral super legal, frequentado por pessoas muito especiais escolhidas a dedo, dependendo do horário, dá até pra sentar ao lado de uma celebridade.
Fora isso, a comida é boa, os pratos são bem servidos e dá para dividir, e no meio da tarde o som aumenta e a luz apaga.
Mas já aviso que o restaurante não aceita reservas e se você não for conhecida(o) pelo maitre que seleciona quem vai sentar nas poucas mesas do restaurante, chegue cedo e cruze os dedos para ele te achar, bonita, simpática e bem arrumada ou você pode ficar esperando por horas e ainda ouvir uma bela desculpa que significa não. A menos que você tenha uma Hermés e te garanto que ele consegue uma mesa na hora.
25 E 63rd Street - Upper East

Felix Bistrô - $$
O Felix Bistrô é uma delícia e também fizemos um brunch lá, no dia do Halloween. O ambiente é super descolado, com gente jovem e música alta que toca e te deixa ainda mais animada, se você estiver no máximo em duas e o dia agradável, procure assentos pela janela para observar as pessoas que passam pelo soho.
A comida é francesa e tomamos uma deliciosa sopa de cebola, também pedimos outras coisas, entre elas uma omelete com queijo de cabra que estava muito boa. Os pratos são grandes e bem servidos e quase tudo acompanha fritas.
Esta é uma ótima opção se você estiver pelo soho e quiser sair um pouco da confusão da Broadway para comer.
Dá para fazer reservas, recomendo especialmente no final de semana, quando tudo fica cheio.
340 West Broadway - Soho

Tao - $$$
Adoramos o Tao e tentamos ir todo ano quando vamos para a Big Apple. O restaurante/lounge, que serve comida asiática é lindo e a comida é sempre muito boa.
Recomendo reserva, pois ele vive lotado, inclusive nos dias de semana. Se por algum motivo você não conseguiu fazer, é possível sentar no bar do andar de cima, que tem cadeiras super concorridas tanto para quem espera sua mesa quanto para os desprevinidos, que vão sem reservas.
Mesmo assim, sua espera vai demorar, então tenha paciência e curta o ambiente, peça umas bebidas e uns aperitivos, se ficar com muita fome.
De entrada pedimos lobster, tuna tartar e vegetable spring rolls. Para comer, um delicioso crispy shrimp e um peixe, chamado Cod com miso. Recomendo o trio de sakês para acompanhar.
42 East 58th Street

Spice Market - $$$
O Spice Market é uma das tantas boas opções que existem no Meatpacking, afinal, o bairro está rodeado de lugares gostosos para comer.
Também muto especial, o Spice está sempre cheio, apesar dos diversos salões que possui, portanto recomendo que você faça reserva. Mas é possível se aventurar na lista de espera e pedir alguma coisinha para bebericar no bar enquanto aguarda, vale a pena.
A decoração é linda, apesar do pouco que passa do lado de fora, você se surpreende ao entrar. O atendimento impecável a e a comida, claro deliciosa e saborosa. As coisas são um pouco apimentadas, o nome do restaurante já avisa, mas os chefs são super compreensivos e basta avisar que sua resistência ao tempero não é tão forte quanto a deles.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails